Entrevista com a autora Larissa Siriani

on quinta-feira, 7 de outubro de 2010
Larissa Siriani

Todos sabem muito bem que eu li o livro da Larissa Siriane “Vermelho Sangue” e me apaixonei por ele! Quem não viu a resenha pode ler aqui! Mas resolvi trazer uma entrevista com a autora, para conhecer um pouco mais sobre ela e suas obras, então eu vos apresento a primeira entrevista do Vicio de cultura!


  


Vício de Cultura: Fale um pouco mais sobre você e sua vida.

Larissa Siriani: Acho que essa pergunta é a mais difícil HAHA. Bom, eu sou paulista, tenho só 18 anos e faço faculdade de Cinema. Já morei no Canadá /morro de saudades/ e tenho 4 cachorros. :P não sou muito boa em falar sobre mim mesma. 

VC: Quais seus hobbies?

LS: Além de ler e escrever (o que ocupa a maior parte do meu tempo), eu ouço muita música e vejo muitos filmes e seriados. Ano passado eu acompanhava quase dez séries diferentes, apesar de mal ter tempo de assistir todas em dia. 

VC: Qual o seu maior sonho?

LS: Entrar na lista dos mais vendidos. Acho que é um sonho pra qualquer escritor. 

VC: Quem te influenciou na leitura, e como surgiu o hábito de escrever?

LS: Minha mãe sempre leu muito, e comecei a ler desde pequena por causa dela. Como eu lia muitos gibis, comecei a escrever fazendo histórias em quadrinhos, e depois continhos pequenos (alguns deles eu tenho até hoje, de tipo 10 anos atrás). Eu parei de escrever por um tempo, e voltei a escrever quando entrei na adolescência, e ai não parei mais. Acho que ler é o que mais influencia na hora de escrever. 

VC:  Como é o processo de escrita de seus livros, e quanto tempo leva em média para escrever um?

LS: Não é bem um processo. Eu sou um pouco pirada, pra falar a verdade. Eu escrevo muitas coisas ao mesmo tempo, então isso mexe muito no tempo que eu levo pra terminar alguma coisa. No momento estou com 5 projetos em andamento, e sempre que eu sento pra escrever, atualizo todos eles. Costumo demorar de 2 meses a até 1 ano pra escrever alguma coisa inteira, depende muito. 

VC: Você se baseia na sua vida para escrever suas histórias? E seus personagens, são inspirados em pessoas que você conhece/conheceu?

LS: O tempo todo! A Dora, de Toda Garota Quer, por exemplo, é exatamente como eu era aos 16/17 anos. A maioria dos meus personagens tem um quê de mim, e muitos quês de várias outras pessoas. É o jeito mais simples de se criar um personagem que pareça totalmente real. 

VC: Qual o personagem que você criou que mais gosta?

LS: Que mancada perguntar isso! HAHA. São todos como filhos meus, é difícil escolher um que eu goste mais. Mas eu gosto muito da Beni, de Vermelho Sangue. Ela é muito diferente de mim, e entrar na cabeça dela e me adaptar ao jeito como ela pensa e age foi um desafio pra mim. 

VC: Já chegou a entregar manuscritos para editoras? Se sim como foi a resposta e se te deixou triste?

LS: Já, faço isso desde os 15 anos! No começo era muito difícil lidar com as respostas negativas, mas depois eu cheguei à conclusão de que isso não media o meu talento ou não pra escrita. Até hoje só recebi uma resposta positiva, que é da Editora Multifoco, que vai publicar meu próximo livro. 

VC: Quem é seu escritor favorito e por quê?

LS: Eu tenho vários. Mas acho que a escritora que sempre será minha top favorita é a Meg Cabot, pela simpatia e humildade que ela tem, e esse dom incrível que ela tem com as palavras. É uma escritora em que eu me espelho muito. 

VC: Qual o estilo que mais gosta de ler? E o que mais gosta de escrever?

LS: Eu tenho uma queda por qualquer coisa que envolva fantasia, porque foi por ai que eu comecei a ler. Pra escrever eu não tenho muita preferência, apesar de ter mais facilidade com os Chick-Lits. 

VC:  Está escrevendo algo no momento? Conte-nos mais um pouco sobre o projeto!

LS: Qual dos 5? :P Bom, em andamento estão a revisão da continuação de Vermelho Sangue, chamado Caçada (deve pintar por ai no começo de 2011), e num livro novo, sobre uma adolescente que fica grávida e, ao mesmo tempo, se vê apaixonada por dois garotos. 

VC:  Como é ser uma escritora jovem e que publica seus livros de forma independente no Brasil? Você sente muito preconceito ainda com escritores brasileiros?

LS: É complicado, e exige muito. Eu comecei com a publicação independente há um ano e só agora estou tendo resultados. Preciso fazer tudo por mim mesma. E infelizmente o preconceito com a literatura nacional ainda existe, mas eu e outros escritores que eu amo estamos prontos pra quebrar essa barreira. 

VC:  Parcerias com blogs literários já lhe trouxeram resultados positivos? Acha que as parcerias deixam o escritor em mais evidência?

LS: A blogosfera cresceu muito desde que eu fiz meu primeiro blog, e hoje isso tem se voltado muito pro lado da literatura. As parcerias sempre ajudam, porque cada leitor que vê seu nome num blog diferente vai começar a gravar aquilo e se perguntar "será que é bom mesmo?", e se propor a conhecer. Ganhei bastante visibilidade e conheci um monte de gente maravilhosa graças a essas parcerias! 

VC: O que diria para uma pessoa que gostaria de começar a escrever agora, e quais são as dicas que dá?

LS: Primeiro, leia muito, e comece de baixo: textos, contos, e vai aos poucos aumentando. Ninguém escreve um romance de 700 páginas na primeira vez. Não pode ter medo de recusa, nem de críticas, e nem de parar tudo e começar do zero, porque escritores façam isso o tempo todo. O mais importante é sempre manter a mente aberta e nunca desistir, por mais difícil que pareça. 

Obrigado pela entrevista Larissa, gostaria de deixar algum recado para os leitores do Vicio de Cultura? 

Bom, um beijo pra todos os leitores, e eu convido todo mundo desde já a conhecer mais sobre os meus livros e outras coisas no meu site (www.larissasiriani.blogspot.com) e no meu twitter (www.twitter.com/larissasiriani)! E nunca abandonem o vício da cultura! :)

4 comentários:

NCrastt Fontaine ;* disse...

Eu sei bem como é ter coisas que escreveu a trocentos anos atrás, hahhahaa... e sei mais ainda como é ter muitos projetos ao mesmo tempo. Eu sou uma maquina ambulante, sempre tenho novas ideias e tento sempre passar para o papal ~computador, no caso~ e é sempre dificil me fazer terminar aquele que eu comeicei primeiro do que aquele que eu comecei agora e já estou no fim.

Concordo que a melhor coisa pra escrever é ler. E não só coisas que nos agradam, como textos, cotnos e livros, mas também jornais, revistas [Capricho até vale, Veja etc], livros didadicos.

Vício de Cultura disse...

NCrastt Fontaine ;*: Sou igual a voc~e, tenho aqui no meu PC vários projeitos de livros, mas ainda não consegui engatar. Só tenho um todo escrito e revisado! ;D

Ler ver filmes, séries. Todas essas coisas nos trazem inspirações! hehehe

bjos

♪ LSM' disse...

haha adorei a entrevista... bem legal :D

Vício de Cultura disse...

♪ LSM': A Lari é umquerida mesmo!

bjos

Postar um comentário

Quer fazer um blogueiro feliz? Comenta aí! :D